FHCGV
Central de Material e Esterilização | Fundação Hospital de Clínicas Gaspar Vianna

Estou em: Início » Central de Material e Esterilização ...

Tamanho do texto: Maior - Normal - Menor

Central de Material e Esterilização

A Central de Material e Esterilização (CME), é uma unidade de apoio técnico, a qual se propõe a prestar um serviço, que possamos assegurar o controle, preparo e esterilização de artigo médico hospitalares, assim como a distribuição de material estéril para todo o hospital, garantindo a qualidade e contribuindo para a prevenção e controle da infecção hospitalar.

 

Sua visão consiste em prestar um serviço com maior nível de segurança no processamento dos artigos médico hospitalares, garantindo a qualidade e proporcionando condições seguras de assistência ao paciente com a missão de fornecer materiais desinfetados e esterilizados, contribuindo para a prevenção e controle da infecção hospitalar.

 

 

Estrutura Física

 

Em relação a estrutura física, a C.M.E. possui 204m2, está localizada no andar térreo do Bloco 06, próximo dos centros fornecedores, Lavanderia. , Almoxarifado, e Farmácia, com fácil acesso as unidades consumidoras como Centro Cirúrgico, Centro Obstétrico, Emergência Cardiológica e UTI. Esta unidade está dividida em área de recepção e lavagem, preparo, desinfecção, esterilização, estocagem e distribuição de materiais, estando de acordo com o projeto físico funcional recomendado pela legislação vigente (RDC 50/2002).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Área de lavagem de material.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Área de Desinfecção

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Área de Preparo e Esterilização

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Área de Armazenamento e Distribuição

 

 

Equipamentos

Nesse item, o HC se destaca como pioneiro em aquisição de equipamentos de alta tecnologia, pois foi o primeiro hospital de Belém/Pa a adquirir o esterilizador por Plasma de Peróxido de Hidrogênio, em 2000. Além deste, contamos com 03 autoclaves de vapor saturado sob pressão com sistema de osmose reversa, sendo uma delas acoplada com impressora digital que registra cada fase do ciclo, o que representa um grande avanço no que se refere a monitoração de processos. Contamos também com uma lavadora ultrassônica para lavagem de material canulado Para 2013, estaremos adquirindo uma lavadora termodesinfectadora de barreira, para garantir ainda mais a qualidade do processamento dos materiais.

 

Administrando com Qualidade

Dentro do projeto de modernização gerencial, trabalha os indicadores de percentual de reesterilização, satisfação dos clientes internos e servidores do próprio setor, além de medirmos o percentual de erros no preparo dos materiais, os quais são estabelecidos através de planos de ação, analisados pelos relatórios de 3 gerações. Grande parte das modificações físicas ou de rotinas do setor é realizada a partir de sugestões dos clientes. Dentro do programa de Educação Continuada a CME disponibiliza vagas para estágio de acadêmicos de Enfermagem, além de treinamento da equipe, desenvolvido através de parcerias com a Assessoria de Recursos Humanos da FHCGV e empresas fornecedoras. Como prática de gestão, a CME realiza a monitoração dos processos de esterilização, a qual consiste em controlar todos os ciclos de esterilização dos equipamentos, através de testes realizados diariamente, assegurando que os materiais utilizados foram submetidos a um processo de esterilização controlado. Esta prática, aliada ao controle de lotes, permite a rastreabilidade de todo o material fornecido aos setores. Mais recentemente, a CME passou a monitorar a limpeza de instrumentais e canulados. Consiste em práticas localizadas, pois envolvem somente os setores assistenciais da Fundação contribuindo para o controle da infecção hospitalar.

 

Equipamentos

Nesse item, o HC se destaca como pioneiro em aquisição de equipamentos de alta tecnologia, pois foi o primeiro hospital de Belém/Pa a adquirir o esterilizador por Plasma de Peróxido de Hidrogênio, em 2000. Além deste, contamos com 03 autoclaves de vapor saturado sob pressão com sistema de osmose reversa, sendo uma delas acoplada com impressora digital que registra cada fase do ciclo, o que representa um grande avanço no que se refere a monitoração de processos. Contamos também com uma lavadora ultrassônica para lavagem de material canulado Para 2013, estaremos adquirindo uma lavadora termodesinfectadora de barreira, para garantir ainda mais a qualidade do processamento dos materiais.

 

Administrando com Qualidade

Dentro do projeto de modernização gerencial, trabalha os indicadores de percentual de reesterilização, satisfação dos clientes internos e servidores do próprio setor, além de medirmos o percentual de erros no preparo dos materiais, os quais são estabelecidos através de planos de ação, analisados pelos relatórios de 3 gerações. Grande parte das modificações físicas ou de rotinas do setor é realizada a partir de sugestões dos clientes. Dentro do programa de Educação Continuada a CME disponibiliza vagas para estágio de acadêmicos de Enfermagem, além de treinamento da equipe, desenvolvido através de parcerias com a Assessoria de Recursos Humanos da FHCGV e empresas fornecedoras. Como prática de gestão, a CME realiza a monitoração dos processos de esterilização, a qual consiste em controlar todos os ciclos de esterilização dos equipamentos, através de testes realizados diariamente, assegurando que os materiais utilizados foram submetidos a um processo de esterilização controlado. Esta prática, aliada ao controle de lotes, permite a rastreabilidade de todo o material fornecido aos setores. Mais recentemente, a CME passou a monitorar a limpeza de instrumentais e canulados. Consiste em práticas localizadas, pois envolvem somente os setores assistenciais da Fundação contribuindo para o controle da infecção hospitalar.

 

CME Sustentável

As discussões sobre a abordagem da sustentabilidade tem ocupado, por diversas vias, importante espaço em todas as atividades que demandam planejamento e considerações sobre a própria sobrevivência vinculada ao futuro. A partir de uma palestra que as Enfermeiras da CME/FHCGV assistiram, em junho, referente a um programa de sustentabilidade (do serviço de enfermagem do Hospital Regional de Santarém, durante o Simpósio de Infecção Hospitalar promovido pela DEVISA-SESMA) surgiu a ideia de adaptar o modelo na CME da FHCGV. Para que o projeto se tornar concreto partimos de ações simples, sempre baseadas na sensibilização e educação da equipe no sentido de abraçar a causa. Ações realizadas: (1)Criação da logomarca CME sustentável, a qual passará a fazer parte de todos os impressos da CME a partir de 2013; (2)Implantação, a partir do mês de julho, do uso de copos e canecas para os funcionários da CME, ficando o uso de copos descartáveis restrito a demanda externa. Com isso, tivemos uma redução de 65% do consumo de copos descartáveis no setor. (3)Substituição de termômetros de mercúrio por termômetros digitais em todas as áreas da CME. (4)Incentivar a comunicação virtual entre os setores, com a criação de e-mail (cmefhcgv@yahoo.com.br), através do qual estamos reduzindo o consumo de papel com documentos escritos. Mais recentemente sensibilizamos a CCIH para criar um e-mail e a partir dai estaremos encaminhando os relatórios mensais via e-mail; (5)As instalações elétricas das áreas da CME foram desvinculadas permitindo, desse modo que apagar a iluminação das áreas que não estão sendo utilizadas, reduzindo com isso, o consumo de energia; (6)Reaproveitamento de papel, mantas e embalagens, transformando em artesanato os quais foram vendidos por ocasião do 3 Encontro de Processamento de Artigos, cuja renda foi revertida para compra de cadeira para sala de espera das crianças no Ambulatório. Além da questão social houve significativa redução da quantidade de lixo gerado no setor; (7) Implantamos a utilização de ambos os lados dos papeis que são gerados ou encaminhados a CME, através de uma caixa que foi colocada próximo ao computador e nela todos os documentos são triados e se o verso puder ser utilizado é depositada nessa caixa para reaproveitamento. Essa medida reduziu o pedido de papel A4 de 02 para 01 resma/mês, ou seja, 500 folhas deixaram de ser utilizadas a cada mês na CME. Permanecemos planejando ações que contribuam significativamente para a prestação de um serviço de qualidade, sem agressão ao meio ambiente.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Artesanato produzido a partir do reaproveitamento de papel, mantas e embalagens gerados

 

na CME/FHCGV.

 

 

 

Qualidade Reconhecida

Como resultado do trabalho desenvolvido com muito empenho e dedicação, a CME da FHCGV, vem acumulando ao longo desses anos premiações importantes, como: equipe destaque da Fundação nos anos 2001 e 2002. Nos anos de 2008, 2009, 2010,2011 e 2012 a Certificação OURO concedida pela 3M do Brasil, empresa que premia as instituições que realizam as melhores práticas em esterilização. A CME da FHCGV é a segunda instituição da Região Norte a receber tal distinção. Em 2012, foi a vez de recebermos o Selo Verde concedido pelo Instituto Mais/ Johnson&Johnson por utilizarmos, através do equipamento Sterrad, tecnologia de ponta sem agredir o meio ambiente. No momento, permanecemos adequando nossas práticas a legislação vigente (RDC 15/2012), a fim de concorrermos a Certificação Diamante concedida pela 3M do Brasil.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Equipe CME/FHCGV recebendo a Recertificação Ouro da 3M do Brasil pelo 5º ano consecutivo (maio/2012)