Ir direto para menu de acessibilidade.
Hospital de Clínicas Gaspar Vianna
Página inicial > Notícias > XXI Campanha de Captação de Doadores de Sangue e Medula Óssea
Início do conteúdo da página

XXI Campanha de Captação de Doadores de Sangue e Medula Óssea

Publicado: Quinta, 06 de Abril de 2017, 20h59 | Acessos: 79

A Fundação Hospital de Clínicas Gaspar Vianna (FHCGV) atingiu a meta prevista de doadores estabelecida para a XXI Campanha de Captação de Doadores de Sangue e Medula Óssea, que tinha como tema “No aniversário do HC, dê um presente especial. Doe sangue. Doe vida”. Foram quase 190 comparecimentos e 117 bolsas coletadas, entre funcionários e pessoas que se dirigiram ao hospital para doar. 

 

A técnica de Enfermagem da Psiquiatria, Jamile Maia, já é doadora há mais de 10 anos e aproveitou a manhã de quarta-feira (5) para doar um pouco de seu sangue. “Tenho muito prazer em doar, fiquei sabendo da coleta através dos folders entregues nos setores e também pela divulgação feita no hall do hospital. Todos nós temos que ter a consciência de que a doação salva vidas. É um ato tão simples, tão rápido, não é doloroso. Vale muito a pena”, afirma a funcionária do hospital.

Dona Nilce Barros, de 56 anos, é vizinha do hospital, acordou cedinho e viu na televisão a chamada da campanha, ela aproveitou para doar sangue pela primeira vez. “Eu nunca doei sangue. Quando vi a chamada da campanha, bateu uma vontade no coração de vir e não pensei duas vezes. Eu mesma já precisei de sangue, minha família já precisou também, espero não precisar mais. É uma ação muito importante. Se todo mundo se propusesse a fazer isso, seria muito bom para não deixar o banco de sangue dos hospitais carentes”, revela dona Nilce.

A Assistente Social da Gerência de Captação de Doadores do HEMOPA, Olinda Campos, explica a importância da realização da coleta, considerada por ela um momento ímpar para elevação do número de doadores do hospital e do entorno. “O objetivo da coleta é atender toda e qualquer paciente que precise de transfusão. Na medida que o HEMOPA consegue o estoque de sangue saudável, os hospitais diminuem as dificuldades com transfusão porque a gente consegue atender a todos em tempo hábil, e os quadros dos pacientes tendem a melhor porque eles não ficam tanto tempo aguardando o procedimento. É uma grande campanha para a Fundação Hemopa e para o hospital que cumpre seu papel de co-responsável pela doação de sangue”, enfatiza Olinda Campos.  

Ana Lydia Cabeça, diretora presidente da FHCGV, analisa a campanha como primordial. “A campanha é fundamental porque no momento em que nós vivemos, o Hospital de Clínicas está inserido na sociedade, no Estado do Pará e no município de Belém, como um dos grandes hospitais da rede pública e um dos nossos maiores focos na nossa área de referência é a cirurgia cardíaca. Nós utilizamos muito o sangue para o tratamento dos pacientes aqui que são submetidos a cirurgias, principalmente as crianças que também fazem cirurgia do coração. Então, nós temos o papel social de conscientizar as pessoas sobre a importância da doação de sangue e de trazer a população para contribuir com a doação de sangue tanto para os pacientes que precisam HC e aqueles que acorrem ao Hemopa quando necessitam”, reforçou a diretora presidente da FHCGV.

No Auditório “Dr. Ronaldo Araújo”, antes das apresentações dos artistas Adilson Alcântara e João da Hora, animando pacientes e funcionários da instituição, com músicas conhecidas, Ana Lydia Cabeça fez um agradecimento a todas as equipes participantes das ações comemorativas em alusão ao aniversário do hospital, dentre elas a própria campanha de doação de sangue. “Considero que no nosso aniversário nós temos mais a comemorar. Eu nunca vi, em 16 anos de HC, uma semana tão cheia de eventos, tão festiva, vocês estão de parabéns por isso, por todos os convidados que vieram, por todas as pessoas envolvidas. Quando a gente vê as carinhas das crianças e sabe que a gente tem conseguido tratá-las e devolvê-las para casa é o que faz a gente ficar muito feliz. Vamos comemorar, dançar, agradecer à Deus por estarmos vivos e por nós podermos trabalhar em prol do ser humano, do nosso próximo”, finalizou.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página