Endereço:

Trav. Alferes Costa nº2000 - Bairro: Pedreira / Belém - Pará

Servidores se mobilizam e paciente ganha cerimônia de casamento no Hospital de Clínicas

 

Foram quase trinta anos de relacionamento até que Raimundo Casseb e Maria José Salimos oficializassem a união para eternizar o sentimento de amor. Exceto pela data escolhida em homenagem à mãe da noiva, os planos do casal para o momento precisaram ser alterados e a cerimônia acabou sendo realizada nesta segunda-feira (21), no Hospital de Clínicas Gaspar Vianna, onde Raimundo está internado para tratamento cardiológico.

Para marcar o momento de união, servidores do Hospital se mobilizaram na organização de todos os detalhes de uma cerimônia de casamento. Enquanto um enfermeiro cuidava da barba e da locomoção do noivo, médicos, técnicos e residentes se dividiam entre a decoração, preparação do altar e a confecção do buquê da noiva feito com flores do jardim do próprio hospital.

Para dar a benção do casal, Ramon Salimos, irmão da noiva e sacerdote em Concórdia do Pará pela Diocese da Abaetetuba, trouxe uma reflexão sobre o amor ao próximo lembrando a importância dos profissionais de saúde neste momento. “Deus quer se fazer presente diante de todos os momentos da vida de seus filhos. Hoje, Ele está aqui para consagrar o amor de duas pessoas e provar, mais uma vez, que não há prova de amor maior do que dar a vida pelo irmão, como acontece em hospitais”, disse o sacerdote.

Depois de jogar o buquê e já com aliança na mão esquerda, Maria Salimos agradeceu aos servidores do Hospital pela oportunidade de realizar o sonho junto ao marido. “Sempre pensei em que deveríamos viver conforme os planos de Deus. Com essa mudança na saúde dele, resolvemos oficializar a união com direito à troca de alianças como ele queria e em uma data especial que marca os 100 anos da minha mãe se estivesse viva”, conta Maria.

Sem muitas forças para falar, Raimundo guardou forças para repetir as palavras do sacerdote, assinar os documentos da união civil e escolher a médica Layne Picanço como dama de honra para levar as alianças. Tudo sob os olhares da imagem da Nossa Senhora de Nazaré, de quem Raimundo era Guarda antes do tratamento.

Chefe da Clínica Médica no Hospital, Layne destacou a importância da realização da cerimônia para o paciente. “O casamento é a consagração da história de amor entre duas pessoas. Acreditando nisso e que esse momento poderia ser positivo para o tratamento dele, fizemos de tudo para que a cerimônia acontecesse” diz a médica que ainda reforçou as lições deixadas com o trabalho da equipe assistencial.

“Cuidar também uma forma de amar e o matrimônio é a reafirmação desse sentimento. Fazer parte desse momento, nos faz pensar em ressignificarmos nosso cuidado humanizado para minimizar os efeitos dessa hospitalização”, ressaltou Layne.

Leave a Comment

(0 Comments)

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *